Arqueólogos decifram inscrição hebraica do reinado de Davi

Uma equipe de arqueólogos decifrou a mais antiga inscrição hebraica, que data do século X antes da era cristã. A descoberta foi anunciada pelo Departamento de Estudos Bíblicos da Universidade de Haifa (norte de Israel). Segundo um comunicado da universidade, o arqueólogo israelense Gershon Galil conseguiu provar que a inscrição, feita a tinta em um fragmento de cerâmica, datado do reinado de Davi, é o mais antigo texto hebraico já descoberto.
O fragmento de 15 por 16,5 centímetros foi encontrado há um ano e meio, em escavações coordenadas por outro arqueólogo, Yosef Garfinkel, no sítio de Khirbet Qeyfa, perto do vale de Elah, na região de Jerusalém.
  Segundo o arqueólogo, “este texto é uma declaração social, relacionando escravos, viúvas e órfãos. Ele usa verbos que eram característicos do hebraico, como “asah” (fez) e “avad” (trabalhou), que eram raramente usados em outros idiomas regionais. As palavras particulares que aparecem no texto, como “almanah” (“viúva”) são específicas do hebraico e são escritas de modo diferente em outras línguas locais.  O conteúdo era também pouco familiar às demais culturas da região ao largo da sociedade hebraica. Esta inscrição fornece elementos sociais semelhantes às encontradas nas profecias bíblicas e são muito diferentes das profecias escritas por outras culturas que glorificavam os deuses e tratavam de suas necessidades físicas”.
      Para ele, a inscrição demonstra a existência da escrita hebraica já no século 10 a.C., deixando claro que a escrita da Bíblia pode ter ocorrido durante este período tão recuado, diferentemente do que admitem alguns pesquisadores. 
      Ainda segundo Galil, a inscrição “pode mostrar que é altamente provável que, durante o reino de Davi no século 10 a.C., havia escribas em Israel capazes de escrever textos literários e historiografias complexas, como os livros de Juízes e Samuel”.
      A complexidade do texto e as fortificações descobertas refutam também aqueles que negam a existência do reino de Israel nesta época.
      A inscrição, diz Galil, testemunha a existência de estrangeiros em Israel e pede apoio para eles, bem como para as viúvas e para os órfãos. O texto é semelhante ao que lemos na Bíblia (Isaías 1.17, Salmos 72.3, Êxodo 23.3, entre outros), mas não foi copiado dali.
Eis a tradução do texto decifrado:
1′ tu não deves fazer [isto], mas adorar ao [Senhor].
2′ Julgue o escra[vo] e a viu[va] / Julgue o orf[ão]
3′ [e] o estrangeiro. [Def]enda a criança / defenda o po[bre e]
4′ a viúva. Reabilite [o pobre] nas mãos do rei.
5′ Proteja o pob[re e] o escravo / [Apo]ie o estrangeiro.
Fontes: Arca Universal/ Guia-me/ Lagoinha.com/ Prazer da Palavra
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s