Elias, a presença de poder.

“E tomou a capa de Elias, que lhe caíra, e feriu as águas e disse: Onde está o SENHOR, Deus de Elias? Então feriu as águas, e se dividiram elas para uma e outra banda e Eliseu passou”. 2 Reis 2: 14.

INTRODUÇÃO: O poder de Deus se manifesta de muitas maneiras através dos Seus servos, aos quais o SENHOR concede essa bênção. Maravilhas extraordinárias acontecem pela operação do poder de Deus. Elias, o profeta, foi o portador dessa força divina em proporção especial, que o SENHOR lhe dera. Ele pode, com sabedoria e inteligência, usar esse dom precioso para aquilo que foi necessário no momento correto. O poder de Deus ainda está ao alcance dos Seus servos, garante a Bíblia, e provam as evidências vividas na Igreja. O SENHOR é aquele que dá força ao Seu povo e espera que este mesmo povo seja também inteligente no uso do poder, pois este é de Deus; nós somos apenas instrumentos usados quando o Espírito Santo opera para o que for útil, segundo a sua vontade.

Elias nada fez por iniciativa própria, mas por orientação divina; por isso tornou-se exemplo digno de ser imitado na esfera espiritual, muitas vezes mal entendida e até violada por inexperiência ou falta de maior conhecimento das leis divinas na dádiva do poder. Quando o SENHOR opera pelo Seu poder, há alegria, bênção e maravilhas. É nessa linha de atuação espiritual que a Igreja deve seguir o seu trabalho no mundo. Basta lembrar que a  palavra de Paulo, quando a luz do Evangelho que ilumina ao conhecimento da glória de Deus: “Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós” 2 Coríntios  4: 7.
Vamos estudar este magno assunto para percebermos como o SENHOR JESUS opera por intermédio de Sua Igreja.
I – A PRESENÇA DE PODER
Elias, o profeta do poder, viveu algumas experiências. Orou para que não chovesse (I Reis 17: 1), e orando outra vez pediu a chuva (18:42-46), o que aconteceu em tempo marcado por Deus. Quando a religião de Israel estava ameaçada por Baal, desafiou lê 450 profetas desse deus pagão, podendo provar que o seu Deus é forte e poderoso. O SENHOR respondeu ao seu pedido, ateando fogo sobre o altar com a oferta de holocausto, conforme estava combinado. Após aquela estupenda demonstração. De poder, o povo se despertou e gritou: “Só o SENHOR é Deus!”. Baal foi posto por terra como ídolo que nada vale, mas os seus defensores foram mortos, pagando com a vida, pela incredulidade e idolatria. (I Reis 18: 32-39).
No reino de Acazias, novamente o profeta apareceu para repreender o rei que deixou Deus para consultar a Baal-Zebube, o supremo deus dos cananeus. Cada lugar tinha o seu próprio baal, por isso aparecem nomes: Baal-Azor, Baal-Hermom, Baal-Peor, etc. Quando o rei identificou quem havia mandado a ele a mensagem de que não se levantaria do leito, enviou capitães com 50 soldados para trazerem Elias à sua presença. Com certeza a intenção do rei não era boa, então aos primeiros dois capitães e seus 50 soldados, o profeta pediu fogo dos céus sobre eles e foram destruídos. Esta ação divina, por mais estranha que pareça, preparou Acazias para receber Elias, sem lhe causar nenhum mal. (2 Reis 1: 2-17) Assim aconteceu. Finalmente, aquele homem de Deus foi tirado da terra sem passar pela morte. Este acontecimento final da vida de Elias, marca a sua passagem por este mundo como servo fiel e a bênção que Deus lhes quis dar. É um símbolo de que muitos cristãos serão arrebatados na volta de Jesus, sem terem provado a morte.
Na transfiguração de Jesus, lá estavam Elias e Moisés, dois personagens bíblicos que ficaram simbolizando a transformação dos vivos e a ressurreição dos mortos respectivamente. Bem aventurados os que tiverem a mesma recompensa no glorioso dia de Cristo.
           
II – O PODER É DE DEUS E PERMANECE
            Enquanto o povo de Deus estive na terra, estará sendo usado pelo Espírito Santo, operando milagres e maravilhas, para mostrar a perene e gloriosa presença de poder. Através da graça divina concedida aos Seus servos, o SENHOR vai demonstrando aos olhos de todos os povos que só Ele é Poderoso. No Cântico de Moisés, ele declara: “Porque a sua rocha não é como a nossa Rocha, sendo até os nossos inimigos juízes disto” (Deuteronômio 32: 31). Ao longo da jornada da Igreja na terra, no tempo e no espaço, ela pode no poder de Deus, dizer aos povos de todas as nações, que Ele é o único poderoso SENHOR nos céus e na terra.
            O profeta Eliseu, sucessor de Elias, recebeu o que pediu: do espírito que estava no profeta. Em seu ministério profético, pode também dizer que o poder de Deus operava como antes. O caso da mulher viúva, que estava prestes a perder os filhos pela dívida, é um desses milagres que só SENHOR pode operar, pois com um pouco de azeite numa botija, ela conseguiu encher muitas outras, vender, pagar a dívida e continuar feliz ao lado dos filhos (2 Reis 4: 1-7). Também outro milagre foi a cura de Naamã, general de exército da Síria. A maneira como Deus operou através do profeta serviu para testemunhar o Seu Poder. (2 Reis 2: 15-17).
            Pudemos observar pelo estudo da Bíblia que o poder de Deus está a disposição do Seu povo para o próprio benefício. O apóstolo Tiago faz referência à cura divina pela unção e pela oração, e para mostrar que Deus opera nos Seus humildes servos, lembrou Elias sujeito como nós às mesmas paixões e Deus o ouviu (Tiago 5: 14-18).
            “A minha graça te basta”, disse o SENHOR Jesus a Paulo, e continuou: …”porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza” (2 Coríntios 12: 9a). Paulo entendeu a lição que estava recebendo, porque disse: “… de boa vontade me gloriairei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Deus” (vv 9b). Aí está, o SENHOR opera na humildade dos Seus servos. É uma lição importante para aqueles que se acham por demais santificados e querem que Deus os use a todo custo. Essa posição não agrada ao SENHOR, por isso muitas reuniões não alcançam o que desejavam. A culpa está no modo errado da pessoa querer usar do poder de Deus.
            A pergunta de Eliseu às margens do Jordão (2 Reis 2: 14) foi respondida por Jesus: “E eis que estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos” (Mateus 28: 20). Esta resposta foi precedida por outra declaração: “Todo o poder me é dado nos céus e na terra” (Mateus 28: 18). Por isso a Igreja tem a seu favor essa certeza da companhia de Jesus, O SENHOR Forte e Poderoso, que acumula benefícios a Seus filhos e lhes dá força e poder cada dia. E assim a Igreja caminha demonstrando no poder de Deus, as maravilhas e os milagres que o SENHOR opera, com grande destaque para o milagre da salvação do pecador.
Pr. Genésio Mendes
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s