#BEDA 17 – Igreja Perseguida

Saudações.

Este post era de ontem (17/08), quarta-feira, e fala algo relacionado a missão cristã. O assunto deste post é “Igreja Perseguida“.

Segundo a Missão Portas Abertas, “há mais de 60 países onde existe algum tipo de proibição, condenação, execução ou ameaça à vida das pessoas ou à sua liberdade de crer e cultuar Jesus Cristo [1]“. Elas sofrem torturas, prisões ou mortes por não seguirem a religião imposta pelo Estado ou cultura local. O conjunto destas pessoas forma a chamada “Igreja Perseguida” por não usufruírem da liberdade religiosa, como temos aqui no Brasil.

Conheci a causa em 2007, através do CD “Profetizando às Nações” da cantora Fernanda Brum. Eu li o encarte que divulgava a causa e convidava a militar por ela. Neste encarte, também trazia um mapa da “Janela 10/40” (um trecho do globo que vai desde o oeste da África até leste da Ásia, entre os graus 10 e 40 acima da linha do Equador, representando os países menos evangelizados e onde está maioria onde há perseguição religiosa). A partir deste CD, interessei pelo assunto e passei a me informar e orar por este grupo.
No início, era apenas oração e engajamento nas redes sociais. Em 2012, tornei-me parceiro da Portas Abertas. A partir de então, recebia a revista e informativos, sendo edificado pelos testemunhos e histórias deste povo. Cheguei até a falar sobre eles sempre quando tinha oportunidade na Escola Bíblica.

Em todo este tempo, houve momentos marcantes, mas quero separar duas para contar aqui. A primeira é uma campanha de oração pela Coreia do Norte que participei em 2012 . Em alguns dias, eu fazia um “mini culto” em casa, só eu e meu gato (risos). Pude conhecer mais sobre o país (que está em 1º lugar no ranking de perseguição religiosa e uma das nações mais fechadas do mundo) sua história, seu povo, sua cultura e como vivem os cristãos de lá e seus dilemas. Uma ótima aula de geografia, história e sociologia (ou até antropologia #risos). A outra foi a campanha em favor do Pastor iraniano Yousef Nadarkhani, esta campanha foi entre 2011 e 2012. No início, eu me perguntava como uma pessoa poderia suportar tantas aflições como esta e ainda ter força para perseverar na sua fé; no fundo, eu sabia a resposta. Nesta época (2011) conheci a CSW UK (Christian Solidarity Worldwide – Rede Mundial de Solidariedade Cristã) pela internet, ela também cuida dos cristãos perseguidos, mobilizando-os a apoiarem esta causa. O que me marcou nesta campanha foi a semana em que o pastor seria julgado: Além das súplicas diárias, A CSW propôs um relógio de oração para interceder pelo pastor no dia de seu julgamento (8/9/12). Eu tinha feito o cadastro para orar à noite. Eu passei o dia todo sem acesso à internet e ao celular. Quando cheguei, eu tive a notícia de que ele tinha sido absolvido (na época, porque volta e meia, ele é preso e solto novamente). Minha oração foi de agradecimento e rendi graças ao Deus que ouve e atende o clamor de seus filhos espalhados pelo mundo. Este episódio me fortaleceu e me incentivou ainda mais para que eu buscasse a Deus em oração a favor deles.

Não posso deixar de mencionar também a Missão MAIS (Missão de Apoio à Igreja Sofredora), que presta socorro à comunidade de cristãos, em qualquer lugar do mundo, vivendo sob condições de guerra, catástrofe natural ou perseguição religiosa. Além de várias bases de trabalho, hoje, eles têm uma base onde acolhe os refugiados aqui no Brasil e outra no Sertão Nordestino, por ser uma área pobre e com povos não alcançados.
Existem várias outras agências missionárias transculturais que também cuidam deste povo e desta causa com objetivos distintos . Citei estas três (Portas Abertas, CSW UK e Missão Mais), porque são as conheço (ainda que pela internet) e tenho mais proximidade.

Tenho consciência de que nunca estarei presente fisicamente com os cristãos perseguidos, encontrar pessoalmente com eles nesta vida. Mas eu creio que chegará um dia em que estaremos todos juntos, com nosso novos corpos glorificados, adorando ao SENHOR, Rei da Glória, no seu Reino Eterno, onde não haverá nem dor, nem choro e nem sofrimento; pois quando este dia chegar, na vinda de Cristo Jesus, o que é realidade hoje, será um passado esquecido e tudo se fará novo: novos céus e nova terra. Enquanto este dia não chega, estarei aguardando, orando com esperança para que tanto eles como eu, possamos perseverar, aguentar firme até o fim.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s